Desculpe, seu navegador não suporta SVG embutido.

Sabe amplia linha de produção

Empresa sergipana investe na fabricação de vários tipos de iogurtes.

Foto -

A Sabe Alimentos, empresa de laticínios do grupo Albano Franco, em Muribeca (SE), está ampliando sua linha de produção. Ainda este ano vai iniciar a fabricação de iogurtes líquidos, grego, polpa e cremoso, além de petit suisse, numa parceria firmada em maio com a GEA, multinacional especializada no setor de equipamentos para agroindústrias leiteiras. 

Conforme a GEA informou, em nota, serão investidos nas novas instalações R$ 25 milhões. O principal objetivo de ampliar o leque de produtos - a empresa já trabalha principalmente com leites longa- -vida (UHT) e condensado, creme de leite e bebidas lácteas - é ingressar no varejo nordestino com marca própria, principalmente nos Estados de Alagoas, Sergipe e Bahia. 

O proprietário da Sabe Alimentos, Ricardo Franco, comenta, também em nota, que, "em quatro anos de operação, desde quando iniciamos, em 2012, conquistamos uma participação muito boa no segmento de autosserviço e atacado". "Agora, estamos diversificando nossa comercialização e distribuição para o varejo."

A Sabe Alimentos dispõe atualmente de uma planta de 10.700 metros quadrados em Muribeca, a 70 quilômetros de Aracaju, com capacidade instalada para 330 mil litros de leite por dia e infraestrutura pronta para 500 mil litros/dia.

Desde  2012, para a construção da unidade, foram investidos R$ 95 milhões, com financiamento obtido por meio do Banco do Nordeste, na linha FNE (Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste) e também do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Além do parque fabril, a empresa dispõe de frota própria para captação de leite, vendas e distribuição - itens importantes para prevenir fraudes na matéria- prima.

A frota de veículos adequados ao transporte de lácteos é composta de 78 veículos, entre carros, caminhões, motos e utilitários, informa a companhia.

Agora, com as novas instalações para a produção da linha de iogurtes, a empresa comenta ter a infraestrutura completa para agregar os novos equipamentos, com água suficiente, estação de tratamento de resíduos líquidos, geração de vapor, frio, ar comprimido e energia elétrica, além de localização privilegiada em relação à captação de leite, pois fica em posição equidistante em relação às principais bacias leiteiras da região, entre os sertões de Sergipe e de Alagoas. A Sabe dispõe, para os produtores de leite, de um programa próprio de assistência técnica, visando principalmente ao aumento de qualidade da matéria-prima. "Temos programas de melhoramento genético, manejo sanitário e alimentação do rebanho", comenta o laticínio, em seu site. "Além disso, fornecemos, no sistema de comodato, tanques de leite para resfriamento e acondicionamento até o momento da coleta."

Conforme o diretor de Vendas de Soluções da GEA, Guilherme Prelorentzou, a expansão da planta da Sabe terá alto nível de automação. "O projeto atende a todos os requisitos relacionados à segurança alimentar", garante. Além disso, acrescenta que, graças à tecnologia empregada, terá o mínimo de intervenções manuais. "Um dos principais diferenciais do projeto é o sistema de esterilização com vapor filtrado, que elimina a maior parte dos micro-organismos indesejados", diz Prelorentzou.

Fonte: Mundo do Leite ago-set 2016

09 de Setembro de 2016